Entrevista no Jornal de Negócios

 

António Maçanita é um dos principais enólogos portugueses da sua geração, criando vinhos que são consecutivamente reconhecidos nas competições e publicações de maior prestígio. Fundador e proprietário da FITAPRETA, António também é enólogo consultor a produtores de vinho há mais de 13 anos através de sua empresa de consultoria Wine ID.

 
Dinâmico e Irrequieto (como lhe chama a crítica) é amante de um bom desafio e entusiasta dos projetos “under dog”. Desenvolveu vários projetos de produção portugueses em regiões improváveis, a partir de castas em extinção, de adegas em quase falência, que se tornaram projetos ganhadores e de prestígio internacional.

 
Nascido em 1979, teve o seu primeiro contacto com vinhas aos 4 anos, brincando nas vinhas durante a vindima, bebendo sumo de uva fresco das cubas e pisando a pé as uvas na adega de um primo.

 
Aos 18 anos a vida de António era mais caça submarina e surf do que propriamente estudar. Inicialmente pensou em ir para Biologia Marinha, mas um professor convenceu-o a escolher Ciências Agronómicas, um grau mais genérico que poderia ser utilizado para estudos mais avançados. Inscreveu-se no curso mas por alguma razão enganou-se nos códigos e acabou por entrar para Engenharia Agro-Industrial que incluía Enologia. E foi assim que um capricho do destino levou-o para o caminho da enologia.

 
Na universidade o entusiasmo pelas vinhas foi imediato, levando-o a envolver-se na plantação de uma vinha nos Açores, seguido de estágios em Napa Valley, primeiro em Merryvale (2001) e depois em Rudd Estate (2002). Terminado o seu curso trabalhou na adega D’Arenberg, Austrália (2003) antes de decidir ir para a meca da enologia em Bordéus. Para o conseguir fez um acordo com um clube de rugby local e em troca arranjariam um estágio num produtor de vinhos local.

 
Enquanto aguardava a decisão, António terminou a vindima de 2003 num produtos que é hoje uma referência no mundo dos vinhos, a Malhadinha Nova.

 
Chegou a noticia que tinha conseguido o estágio em França e partiu para o Chateau Lynch Bages em Bordéus.

 
Em 2004 criou com o sócio David Booth a empresa FITAPRETA Vinhos, em que o seu primeiro vinho, o Preta 2004 foi galardoado com o “Trophy Alentejo no IWC em Londres” prémio atribuído apenas uma vez antes em 22 anos de concurso. Desde então os prémios têm sido diversos na crítica internacional, tanto na FITAPRETA como nas várias adegas e produtores de vinho do Sul das quais é consultor de enologia. Exemplos disso são, a Quinta de Santana com o troféu produtor do ano em 2011, pela Wine, os projetos Cem Reis e a Herdade do Arrepiado Velho, constantemente valorizados pela crítica.

 
Forte em ciência, desenvolveu alguns projetos científicos inovadores, como “Gravity-Flow vs. Pump-Flow Methods” nos EUA, “Eliminação Acidez Volátil Combinação de Osmose inversa e Eletrodiálise”. Trouxe para Portugal o Know-How de Fotografias aéreas aplicadas a vinhas de onde saiu o seu trabalho “Novo conceito de Terroir”.

 
Desde de 2006 que trabalha com diversos chefes de cozinha em projetos de harmonização de vinho e comida lecionando desde 2010 a Disciplina de “Harmonização de Vinhos” para chefes de cozinha na Escola Hoteleira de Ponta Delgada.

 
António é ainda convidado todos os anos para leccionar uma aula no Mestrado de Enologia e Viticultura no ISA e na licenciatura em Empreendedorismo, assim como para diversos seminários internacionais.

 
Comunicador natural, António desdobra-se a correr mundo promovendo a sua Empresa FitaPreta Vinhos, participando em vários programas de televisão, que vão desde a culinária a temas empresariais.

 
Ginasta em criança, surfista e jogador de Rugby na adolescência, António ainda surfa e joga rugby de praia no longo Verão português. Adora vinho e a vida.

 

Hora do Baco – António Maçanita fala do vinho
Channel 9 Washington – US – António cozinha e fala sobre a Sexy Wines